domingo, 6 de janeiro de 2008

by BRENHA ARDER

«Sou fumador e dono de um pequeno café com menos de 100m2 frequentado por 90% de fumadores e acho que a lei,não podendo ser vista como negativa é essencialmente hipócrita e fundamantalista nos seus principios.
O estado ganha 80% de cada maço(ou algo assim) à custa dos fumadores.
E então agora quer que eles vão para a rua fumar
Àparte a obvia questão fundamentalista e fascizoide desta lei gostaria de sugerir que ajudem os comerciantes a criarem condições para os fumadores retirando uma parte dos impostos que os fumadores pagam para lhes dar condições dignas.Lembrem-se que as obras em espaços para fumadores nos edificios estatais serão pagas como dinheiro dos impostos do tabaco pago pelos fumadores comprado nos estabelecimentos que mais vão ser prejudicados com esta lei.
Ou então deixem-me enquanto proprietario puder escolher naquilo que é meu e pelo qual pago impostos o tipo de “SAUDE” que desejo por lá.
É que também se morre de fome,ou não?»

2 comentários:

Loira disse...

Os donos de determinados estabelecimentos começam a ressentir a falta de clientes...Sábado passado fui a um bar q conheço relativamente bem, em conversa com o dono, perguntei se tava a sentir o efeito desta nova lei, ele como é obvio nem falou, acenou um sim com tamanha tristeza e denotei tb um pouco de vergonha perante o nosso país...
Infelizmente esta nova Lei vai acarretar outro tipo de problemas bem como o desemprego, pois isso mesmo, o desemprego!!! No meu ponto de vista um estabelecimento deste género só é rentavel se tiver clientes (eh pa, até parece um comentario inteligente...acho q vou pra politica!), como é obvio e bem explicito ao olhar de todos, uma boa parte dos clientes sao fumadores...

Enfim... nestas coisas existem sempre dois lados, mas como fumadora q sou e q nao vou deixar de o ser pq alguem se lembrou disto nem vou comentar o outro lado (não me convém ihihihih).

Kiss

Anónimo disse...

só depois de ler o texto todo, é que entendi a piada, hahahaha
realmente a sempre dois lados (ou mais) nestas coisas...
Não havia necessidade de referir que foi uma loira a escrever isto... hihihi